Óleos essenciais - o remédio que vem da natureza

Óleos essenciais - o remédio que vem da natureza

Foto: Freepik

Os óleos essenciais são substâncias extraídas de flores, folhas, frutos e sementes que possuem funções analgésicasanti-inflamatóriasbactericidas e etc. Considerados como a “alma” das plantas, esses óleos são líquidos voláteis compostos por elementos orgânicos como: carbonos, óxidos, cetonas etc. Eles atuam em nosso organismo restaurando a energia curativa e proporcionando o equilíbrio entre corpo, mente e espírito.

Estes óleos são encontrados em várias plantas na forma de pequenas gotas entre as células, onde agem como hormônios reguladores e catalisadores. São produzidos para protegê-las contra o ataque de parasitas, atuam na fertilização e ajudam a planta se adaptar ao meio ambiente.

Muito usados em terapias como Reflexoterapia e Aromoterapia este óleos são um complemento essencial para potencializar os benefícios alcançados por várias terapias holísticas.

Óleos essenciais x Essências

Os óleos essenciais são extraídos diretamente das plantas, possuem efeito terapêutico e farmacológico, já as essências são aromas sintéticos desenvolvidos em laboratórios e agem apenas em nossa memória olfativa e não possuem ação terapêutica.

Apesar de serem substâncias naturais, os óleos essenciais não estão isentos de alguma toxidade. O óleo extraído dos vegetais é geralmente setenta vezes mais concentrado e alguns deles contêm tuyona ou miristicina que são considerados neurotóxicos e podem provocar convulsões em alta dosagem. Devido a esses fatores é fundamental estar sempre atento à procedência e legitimidade do óleo essencial escolhido.

Benefícios dos óleos essenciais

Cleópatra, Rainha do Egito, já conhecia os benefícios dos aromas. Ela impregnava as velas que serviam para iluminar seus aposentos com óleo de Jasmim e assim seduzir seu amado Marco Antônio. Estudos revelam que o óleo essencial de lavanda aumenta a sonolência e melhora o bom humor. Já o óleo de limão ajuda na cura de um processo infeccioso. Isso acontece porque estes óleos penetram na membrana celular e se dissolvem bem em nosso organismo. Centenas de remédios usados pela medicina tradicional possuem compostos extraídos de óleos essenciais como mentol e cânfora.

Confira alguns óleos essenciais e para que cada um serve:

Anis – Auxilia no sistema digestivo, é diurético e estimula a abertura dos poros. Muito usado também na higiene bucal. Não indicado em caso de gravidez, epilepsia e hipertensão. 

Cardamomo - É analgésico e digestivo; promove bem-estar amenizando dores musculares e desconfortos digestivos. Também é eficiente contra frigidez, pois estimula o apetite sexual.

Eucalipto – combate os problemas respiratórios, reumáticos, dor de cabeça, enxaqueca, dores musculares, febre e tensão muscular. Serve como repelente de insetos, assim como a citronela e também é bactericida.

Jasmim - Um ótimo relaxante, tanto muscular como dos nervos. É capaz de provocar um estado de pleno controle, mas sem funcionar como sedativo. Se aplicado diretamente na pele, é um ótimo regenerador de peles maduras e secas. Não usar em caso de gravidez e epilepsia.

Lavanda – combate o estresse, dor de cabeça, resfriados, insônia e problemas respiratórios. É também antidepressivo, regulador hormonal e calmante, regenera os tecidos e é um ótimo cicatrizante. Não deve ser usado na gravidez ou em caso de epilepsia.

Rosa - Indicado para tratamento antidepressivo e de falta de autoestima. Também promove melhoras em doenças ou distúrbios dos sistemas digestivo, nervoso e circulatório. Evitar durante os primeiros meses de gravidez.

Os óleos essenciais são muito concentrados e por isso não devem ser utilizados em contato direto com a pele, pois podem causar vermelhidão, coceira ou fotossensibilidade. Os óleos essenciais devem ser misturados com os chamados óleos carregadores. Os carregadores como o óleo de copaíba, de amêndoas doce ou semente de uva, diminuem a concentração dos óleos essenciais permitindo sua aplicação na pele.

São raras as técnicas que permitem o uso do óleo essencial in natura, antes de seu uso é fundamental realizar um teste de alergia. Compre sempre óleos essências biológicos certificados, eles têm menos risco de conter toxinas e outros produtos que possam intoxicar o organismo.

Diversos fatores influenciam a eficácia do tratamento dentre eles os seus métodos de aplicação que podem ser por inalação, aromatização, evaporação etc. Confira abaixo algumas dessas técnicas em detalhes:

- Inalação – É a principal e mais benéfica forma de usar os óleos essenciais da aromoterapia. Essa técnica permite que as moléculas consigam chegar facilmente ao cérebro, criando alterações no funcionamento do corpo.

As inalações devem começar leves e ir aumentando em número e intensidade gradativamente.  Para fazer a técnica de forma correta deve-se respirar o óleo diretamente do frasco, inspirando profundamente e segurando o ar por 2 a 3 segundos.

  • Inalações curtas: 3 a 7 respirações seguidas, várias vezes ao dia.
  • Inalações médias: 10 a 15 respirações seguidas, várias vezes ao dia.
  • Inalação longa: 10 a 15 minutos de respirações seguidas, de 2 a 3 vezes ao dia. 

-Vaporização – Essa técnica é excelente para tratar problemas respiratórios ou resfriados. Para fazer a vaporização deve-se colocar água fervente em uma bacia e depois adicionar algumas gotas na água. Após isso é só respirar o vapor liberado cobrindo a cabeça com uma toalha. Mas atenção: A vaporização só é permitida para crianças maiores de sete anos de idade.

Massagem – Esta é a forma ideal de aplicar o óleo diretamente na pele, mas fique atento, o óleo essencial deve ser misturado ao óleo vegetal. Para 30 ml (três colheres de sopa) de óleo vegetal, adicione até 20 gotas de óleo essencial.  Ideal para tratar dores musculares, infecções, problemas de pele ou dores nas articulações.

Escalda-Pés - Para realizar essa técnica é só colocar os pés dentro de uma bacia com água quente, sal grosso e gotas de óleos essenciais como: o óleo de cravo ou tomilho. Deixe os pés submersos nessa mistura por três minutos. Em seguida coloque os pés em uma bacia com água fria por 20 segundos. Repita este procedimento três vezes e termine com os pés na água fria.

As técnicas listadas acima são aplicadas de acordo com o objetivo e o benefício que pretende ser alcançado. O ideal é sempre procurar um especialista para que ele faça a análise e indicação corretas. 

Faça você mesmo:

Para amenizar as cólicas menstruais dilua uma gota de camomila romana em 10 ml de óleo vegetal de amêndoa doce e massageie a barriga. 

Se você deseja dar brilho e aumentar o crescimento dos cabelos acrescente 25 gotas Ylang- Ylang em 100 ml de seu condicionador ou creme de pentear.

Contraindicações

Apesar de todos os benefícios acima descritos o uso dos óleos essenciais possuem contraindicações. Por serem altamente concentrados, os óleos podem causar manchas sobre a pele se usados e expostos ao sol.

No caso de gestantes, recomenda que evite o uso dos óleos essenciais até o quinto mês de gravidez. Para as crianças são recomendadas dosagens mínimas, uma ou duas gotas em um aromatizador e não deve ser aplicado na pele.

O óleo de Ylang-Ylang é um dos óleos essenciais que possuem uma contradição específica. Por ter um aroma forte e exótico deve ser evitado por pessoas com pressão baixa.  Já outros óleos devem ser evitados por hipertensos, epiléticos etc. Para saber quais os recomendados e quais os contraindicados para você o ideal é procurar a orientação de um profissional.

Você tem o hábito de usar os óleos essenciais em seu dia-a-dia? Conte para nós sua experiência nos comentários. 

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados

Return to top